Fortune Ox

Teste do Toyota Yaris sedã

Nosso mercado automotivo está vivendo uma euforia de SUVs, as picapes estão ganhando cada vez mais espaço, mas os sedãs ainda têm seu fã clube. Por isso, o personagem de hoje é o Toyota Yaris sedã. Acompanha o teste comigo!

 

Bom, e já que falamos em fã clube, não deixa de compartilhar o vídeo com seus amigos que fazem parte dele. E não deixa também de dar aquele like, tá? Bora continuar.”

A versão que recebemos foi a XLS, topo de linha.

 

Toyota Yaris Sedã XLS

R$ 126.690

(agosto 2023)

 

Como em todas as versões 2023, recebeu um pequeno face-lift com um novo para-choque dianteiro que o deixou intencionalmente parecido com o Corolla. E a XLS ganhou DRL, faróis principais e de neblina em LED. De lado apenas novas rodas de liga leve, mas de apenas 15 polegadas, enquanto a traseira, com exceção das lanternas agora em LED, ficou igual.

Do meu ponto de vista, acho que o design no conjunto está um pouco ultrapassado. Mas, como sempre digo, gosto é gosto.

Por dentro a versão XLS recebeu revestimento dos bancos com parte em couro natural e outra em sintético. Porém, superfícies macias ao toque, só nos apoios de braço das portas e central. O restante é em plástico rígido.

Mas com um detalhe. A texturização até que é legal. Porém esse material brilhante dá um aspecto modesto que não condiz com uma versão topo de linha. E tem mais. O ar-condicionado é automático, mas não tem saídas atrás; a boa multimídia que ainda espelha celulares com cabo, só tem 7 polegadas e apenas uma porta USB dentro do apoio de braço central. Pelo menos tem duas pro pessoal do banco traseiro. Tem um belo quadro de instrumentos analógico com computador de bordo em uma tela de 4,2 polegadas em TFT.

Mas o volante só tem regulagem de altura. Pode? Chave presencial, botão de partida e trocas sequenciais em aletas atrás do volante ou na alavanca de seleção agradam. Bem como o sensor crepuscular; retrovisor eletrocrômico; e o teto solar. Porém, falta sensor de chuva e, apesar de ter câmera de ré, não tem os importantes sensores de estacionamento na traseira.

E acredite, a seta não tem repetição automática. Pelo que custa esta versão, são detalhes que não deveriam faltar, não é?

Não dá para reclamar do espaço interno, inclusive atrás. Porém, como em todo compacto, no meio só vai bem uma criança. Já o porta-malas, com 473 litros de capacidade é bem razoável, mas peca pelos braços que podem danificar a bagagem.

 

Capacidade do porta-malas: 473 l

 

Em segurança vai bem, mas eu esperava mais nesta versão. Vem com sete airbags, incluindo um para os joelhos do motorista. Completa com controles eletrônicos de tração, estabilidade, auxiliar de partida em rampa, e alerta de colisão, com aumento de carga de frenagem, e monitor sonoro de saída de faixa de rodagem. Porém, faz falta um alerta de ponto cego.

Na mecânica não tem novidades. Agora toda a linha só é disponível com o motor 1.5 aspirado. Mas que continua com pouca potência e torque para um motor dessa cilindrada.

 

Motor 1.5 Flex – 16V

                          Gasolina   Etanol

Potência (cv)        105         110

Torque (kgfm)     14,3         14,9

 

Tem ainda dois modos de condução além do normal: ECO e Sport. Em ambos quem faz a gestão é o câmbio automático tipo CVT, com sete marchas simuladas, mas que não evita aquela sensação chata de escorregamento nas acelerações. No modo ECO ele seleciona as relações longas para melhor consumo, no Sport as mais curtas, visando a performance.

Porém o desempenho não é dos mais entusiasmantes. Apesar do Yaris XLS sedã pesar apenas 1.150 quilos, com a pouca potência e torque do motor o câmbio, mesmo na posição Sport, não consegue fazer milagres. E piora quando se usa só gasolina, pois o motor perde 5 cavalos. Como a Toyota não fornece dados de desempenho, os números são estimados.

 

Desempenho

0 a 100 km/h             11,8 s

Vel. máxima             182 km/h

 

No consumo até que se saiu bem. Usando o modo ECO para fazer a medição em nosso circuito cidade/estrada, chegou a boas médias de  9,5 km/l de etanol e de 13,3 km/l de gasolina.

 

Consumo médio (em nosso circuito cidade/estrada)

Etanol               9,5 km/l

Gasolina          13,3 km/l

 

Agora vamos ver como ele anda. Silencioso ao rodar e com uma suspensão que filtra bem as imperfeições do piso, é confortável. Em curvas, a carroceria inclina um pouco mais do que seria desejável e, como todo carro de tração dianteira, sai de frente no limite. Mas não compromete. Bons freios, apesar de ter discos só na frente, e direção elétrica precisa, completam.

Enfim, o Yaris XLS sedã não é o mais barato nem o mais caro do segmento. Tem a fama da confiabilidade da marca. Mas continua devendo um motor mais potente e um melhor acabamento nesta versão topo de linha.

Um abraço e até a próxima.

——————————————————————————————-

Notas do Emilio –

Desempenho          6

Consumo               9

Segurança              9

Estabilidade            8

Acabamento           7

Espaço interno       8

Porta-malas            7

Custo-benefício      6

 

Informações técnicas:

Ficha tecnica – Yaris seda 2023

Lista de equipamentos – Yaris seda 2023

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Postagem Relacionada
Fortune Ox Mapa do site